fevereiro 02, 2007

A mosca e a pena



Eu faço amor também com as mãos

É um amor bom

Calmo

Cheio de imaginação
Povoado de gente amiga
E costumeira
Dá certo sempre
E algumas vezes
Dá muito certo

in Os originais; Pimentel, Cid – Hucitec – São Paulo, 1986

7 comentários:

Ana Cecília disse...

Cid,
Gostei, realmente UMAZONA!!!!!!!!!!
Beijão

Adriana disse...

Um par de toques. Nem precisaria escrever, a pena e a mosca.
Abraço
Adriana

Guran disse...

dra. adriana, ótima observação. errei o sentido. vou consertear.

Anônimo disse...

A pena e a mosca.
Ambas sabem como voar.

abraços
Karam

Marco A. de A. Bueno disse...

Cid, meu caro, gosto do poema (há um pouco de Bandeira na fusão entre o "costumeira" e a ênfase graciosa no resultado. Parabéns pelo blog. Adorei ler este recorte de "Flores do Mal".
Abraço do
Marco

Lupa disse...

Gostei Cid... Tem mais ?

erika disse...

fazer amor com as mãos...hummm,me fez viajar em várias ideías, romÂnticas ou não, sonhadoras ou necessárias...
ótima